Visto de Casa 20/03

Ontem foi dia do pai. O meu pai partiu há quase 10 anos, mas para quem tem o seu pai vivoo dia terá sido ainda mais excecional. Nalgumas famílias a alegria da presença mais intensa e próxima de pais e filhos, em confinamento voluntário ou imposto, mesclou-se com as razões tristes e preocupantes que os forçaram a isso. 

Para outras famílias, a distância física não pode serquebrada devido às recomendações sanitárias. Não visitar os pais mais idosos foi uma forma estranha, mas necessária de amor e carinho e respeito. Para o ano viveremos de forma diferente este dia, lembrando-nosque nem sempre o comboio apita quando nós queremos.   

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou um resgate de 750 mil milhões de Euros para combater o impacto do coronavírus na economia e tentar acalmar os mercados. Antes dessa iniciativa, a instituição tinha anunciado uma intervenção frágil de 120 mil milhões de apoio direcionado à banca e a sua Presidente afirmou, com evidente falta de noção, que competiria aos governos e não ao BCE, estarem na linha da frente no combate à nova crise financeira.

 Ainda bem que o coro quase uníssono de recusa dessa estratégia a fez mudar a agulha. Queira ou não a Sra. Lagarde, esta foiapenas a primeira de muitas intervenções que o BCE terá que fazer para manter a economia europeia à tona. Na linha de Mário Draghi, o BCE terá que fazer nem mais nem menos do que tudo aquilo que for preciso fazer para salvar o Euro e a economia europeia, de forma rápida, simples e chegando a todos os que precisam.

No meio da catástrofe sanitária e económica que estamos a viver, vale a pena sublinhar algumas notícias positivas. Ontem a China não reportou qualquer nova infeção. Portugal reportou 143 novas infeções em 24 horas. Em termos absolutos é muito, mas em termos relativos significou uma desaceleração que nos dá esperança e força para continuar o esforço coletivo que temos realizado como comunidade.

A comunidade científica mundial está unida na procura de uma vacina eficaz. Os prazos necessários para termos uma vacina disponível são diversos, consoante as fontes, mas estaremos sempre a falar de muitos meses. Por enquanto, a única “vacina”disponível é mesmo a quebra das cadeias de transmissão através dos comportamentos recomendados. 

Um medicamento japonês desenvolvido contra a gripe em 2014 no Japão tem vindo a mostrar resultados na aceleração da cura de casos de gravidade moderada. Outros elixires irão surgindo. Tenhamos esperança.

O Conselho de Ministros iniciou a regulamentação do Estado de Emergência. O princípio do bom senso imperou. Máxima contenção e mínima perturbação é algo em que todos nos podemos rever. Como escrevi ontem, o Estado de Emergência não é um decreto. É uma atitude coletiva de exceção que exige medidas excecionais para atingir os seus objetivos. Até amanhãa todos. Com muita saúde. 

Comentários
Ver artigos anteriores...