Turismo - Um Outro Olhar

O Turismo, nas suas múltiplas formas e variantes, é um sector que se tem vindo a desenvolver muito à escala global, nacional, regional e local, apoiado na maior facilidade de transportes e no aumento exponencial das pessoas no planeta com vontade e recurso de conhecerem novas paragens, novos costumes e viverem novas experiências. 

Em Portugal, e no Alentejo em particular, a procura turística tem vindo a subir de forma sustentada, dando um contributo cada vez mais relevante para a dinâmica da economia e o equilíbrio das contas públicas.  

Como em tudo, o desenvolvimento turístico ganhará em ser feito com conta, peso e medida, sem ganância e sem arriscar matar aqui ou ali a “galinha dos ovos de ouro”. Um turismo sustentável é aquele que se integra na vida quotidiana das comunidades e não aquele que as expulsa ou descaracteriza. 

O turismo já tem e poderá ter ainda mais relevo como uma atividade amiga da paz e da concórdia entre os povos, criada através do conhecimento e do respeito pela diversidade cultural e da afirmação das identidades que são a maior mais valia do produto turístico diferenciado.

Permitam-me uma analogia para tornar mais clara a minha ideia. Os estudos de opinião mostram que entre os jovens europeus que fizeram o programa Erasmus (parte da sua formação numa universidade de outro outro país europeu que não o seu país de origem) existe uma maior propensão para defender o projeto europeu e para valorizar a sua diversidade e contributo para a paz e compreensão entre os povos da Europa.

Isto também se aplica aos muitos milhões de cidadãos que em cada ano viajam para outro País ou continente em atividade de lazer, nas suas múltiplas dimensões. Ficam a conhecer melhor os territórios, o património mas também os povos que os acolhem

Quem acolhe também acrescenta à sua vida uma experiência rica de diversidade de práticas, culturas e formas de estar na vida.  

Numa globalização tornada irreversível pelas novas tecnologias de comunicação e de transporte de dados, capitais, mercadorias e pessoas, importa puxar pelos fatores que a podem tornar mais pacífica, gerando uma consciência global menos favorável aos conflitos e mais aberta à aceitação e à compreensão da diferença

Neste sentido, o turismo, pelo conhecimento cruzado que promove e pelos meios de vigilância que mobiliza,não é apenas uma condição para dinamizar a economia, criar emprego e promover as culturas e os costumes. É também um contributo para a paz no mundo.
Comentários
Ver artigos anteriores...