Simples, fácil, moderno e seguro (Sobre o piloto do voto eletrónico )

Simples, fácil, moderno e seguro
O Distrito de Évora será nas próximas eleições europeias um distrito piloto no teste de um sistema de voto eletrónico presencial. Esta medida complementa outras medidas aprovadas para facilitar o exercício do voto e que são de âmbito nacional, como o alargamento da  possibilidade de voto eletrónico no sétimo dia antes do ato eleitoral numa mesa de voto específica escolhida eleitor em qualquer sede de distrito (independentemente do local em que o eleitor está recenseado), a disponibilização de boletins de voto em braille para facilitar o exercício do voto a cidadãos portadores de deficiência visual ou o recenseamento automático para eleitores residentes no estrangeiro.    
Os meus leitores sabem como tenho feito nos meus textos um apelo forte à participação eleitoral. À expressão livre da vontade e da opinião de cada um. À celebração da festa da democracia. 
As medidas antes enunciadas e sobretudo a generalização do voto eletrónico presencial pode vir a ser no futuro um precioso auxiliar para que se torne mais fácil exercer o direito e voto em todo o País. 
É por isso uma responsabilidade ao mesmo tempo um relevante serviço à democracia aquele que o Distrito de Évora e os seus eleitores vão prestar no dia 26 de maio, ao constituir-se como um laboratório vivo para testar o sistema.
Tenho notado, no entanto, nos meus contactos com muitos eleitores, sobretudo nos mais idosos, algum receio com a novidade. Computadores na mesa de voto, perguntam, não tornarão mais complicado votarA resposta é categoricamente um não.  
Em primeiro lugar, nesta fase piloto, o voto eletrónico não vai funcionar em vez do modelo tradicional, mas em seu complemento. As mesas de voto eletrónico, em número de 50 e distribuídas por 23 freguesias dos 14 Concelhos do Distrito irão funcionar independentemente das mesas de voto tradicional que funcionarão sem qualquer alteração.
Por isso caro eleitor de Évora, se estiver numa circunstância normal e não tiver nenhuma vantagem em votar num concelho do Distrito diferente daquele em que está recenseado dirija-se normalmente ao local de voto estabelecido pela sua freguesia e vote, contribuindo para a escolha democrática e também para o aperfeiçoamento do sistema de voto, tornando-o mais amigo e adaptado às necessidades de mobilidade da vida quotidiana nos nossos dias.
Caso seja mais fácil para si votar noutra freguesia que tenha mesa eletrónica aproveite. O voto será contado na sua mesa de origem e com total segurança. Estou certo que o seu contributo para o fortalecimento da democracia alegrará a sua consciência por ter cumprido um direito e um dever de cidadania.
Comentários
Ver artigos anteriores...