Morte e Ressurreição

A morte, a ressurreição e a ascensão de Jesus Cristo,com todo o seu significado espiritual e simbólico são fundamentos da fé cristã que se recordam e celebram na Páscoa e em todo o calendário litúrgico a ela associado. É um tempo de redenção, de superação da morte e celebração da vida. 

Páscoa significa passagem, renovação, tempo novo. Significa isso para os cristãos, mas também para os judeus que nela celebram o fim da escravidão do seu povo no Egipto ou para muitas outras crenças e ritos, que nela assinalam a renovação da vida e a esperança e ressurreição do espírito.
A Páscoa de 2020 está a ser vivida por todos nós em circunstâncias muito especiais. O brutal impacto da pandemia destapou as nossas fragilidades e também as nossas enormes capacidades de resistir e combater pela sobrevivência da espécie. Mostrou o melhor e o pior que há em cada um de nós, em cada comunidade, em cada território, em cada sistema económico e político. Depois dela nada voltará a ser igual.

No momento em que escrevo este texto, o enorme esforço e resiliência do povo português na sua generalidade, a convergência política, o esforço conjugado de muitas instituições e empresas e o bom senso na gestão da crise, parecem rasgar no horizonte uma linha de esperança. Tendo saudado a primavera com distanciamento social, espero que possamos abraçar o verão de forma menos contida quando ele chegar.

Para alguns, infelizmente, esta crise já significou e virá a significar uma morte literal. Desejo que o esforço conjugado dos profissionais de saúde, segurança, proteção e socorro e dos investigadores e cientistas que procuram denodadamente respostas para a nova ameaça permitam minorar ao máximo a perda de vidas. Para todos os outros, este tempo significa uma morte simbólica, uma quebra de certezas, uma disrupção de planos que os obrigará à ressurreição, ouseja, à reinvenção da sua vida, certamente com mais dificuldades, mas também com mais consciência e mais aprendizagens.

Esta foi uma Páscoa diferente. Mais triste, mas mais vivida, mesmo que a solidão se tenha sobreposto à comunhão. Nos próximos tempos todos continuaremos a ser chamados a um julgamento sobre o sentido da vida e todos os que sobrevivermos à morte, seremos ressuscitados para novos desafios.

Desejo a todos muita saúde, muita compaixão, muita força e muito ânimo. É tempo, em todos os planos, de morte e de ressurreição. Como comunidade, voltaremos mais pobres materialmente, mas podemos voltar melhores. 



Comentários
Ver artigos anteriores...