Volto Já! (crónica de despedida no CM)

Foi muito gratificante poder partilhar com os leitores do Correio da Manhã esta crónica semanal durante mais de um ano. Neste jornal fui acolhido com grande simpatia e profissionalismo. Senti sempre um forte apoio e incentivo de toda a equipa editorial, que publicamente agradeço.

Num quadro de confiança, foi também muito fácil para mim encontrar os temas e as palavras que semana após semana, tinham como objectivo dar um pequeno contributo para mobilizar quem me lia para “fazer acontecer” um Portugal mais moderno e competitivo. Uma mobilização que teve em conta que neste caderno se cruzam inovadores, empreendedores e gente em busca de oportunidades e sentido para a sua vida profissional.

Agora que o quadro institucional das funções que passei a exercer recomenda que suspenda esta colaboração, já me é mais difícil encontrar as palavras adequadas à despedida.

Escolhi para isso um título que vagueia entre o efémero e o definitivo. Volto já, representa a atitude com que procuro estar nas coisas em que me envolvo. Comprometido para sempre e livre para partir em cada momento.

Volto já, significa também que não diminuiu a minha determinação e a minha convicção de que vivemos um tempo decisivo para o nosso País e que a atitude de cada um de nós é e chave para transformar as políticas e os investimentos em crescimento e emprego. Significa ainda que enquanto aqui não estou, ando por aí a semear ideias, desafios, propostas, politicas. A fazer acontecer ou fazer com que seja mais fácil fazer acontecer. A dar sentido e a traduzir na prática aquilo que aqui fui defendendo.

Chegámos pois à última crónica deste ciclo. Mais cedo ou mais tarde nos voltaremos a encontrar num “jornal perto de si” ou quem sabe neste mesmo, que é exemplo de sucesso dum projecto de largo espectro em constante adaptação e modernização para responder ao que o seu público ambiciona e deseja. Gostei de estar por aqui! Volto já.
Comentários (1)
Ver artigos anteriores...