O Povo falou e o PS ganhou





Realizaram-se dia 29 de setembro mais umas eleições autárquicas. Constituíram antes de mais uma grande vitória da democracia. O povo falou e falou participando e votando com uma intensidade que nem os mais otimistas auguravam.



Realizaram-se 308 eleições. Cada uma delas tem uma história particular e procurar escamotear isso é não respeitar o esforço e o empenho dos que ganharam e dos que perderam.



Dessas 308 disputas, 150 foram ganhas pelas candidaturas do PS. O maior número de autarquias alguma vez vencidas por um Partido desde que há eleições autárquicas em Portugal.



Este resultado tem uma leitura clara. Os portugueses confiam cada vez mais no PS e em António José Seguro, ao mesmo tempo que confiam cada vez menos em Passos Coelho e Paulo Portas, não obstante a quase patética tentativa deste de se salvar do naufrágio da coligação, usando boias alheias como a vitória do candidato independente no Porto.



O povo falou e disse que quer outras políticas. Agora já ninguém pode ter duvidas. A grande maioria dos portugueses quer outras políticas e não está disponível para sofrer mais austeridade sem sentido, que apenas ajuda a insuflar o balão da espiral recessiva.



Outra das conclusões das eleições é que a CDU passou a concentrar os votos de protesto riscando do mapa autárquico o Bloco de Esquerda. Não quero interferir em questões alheias. No protesto o prometer tudo a todos parece pagar mais que a seletividade fraturante. E no caso da CDU a implantação no terreno faz a diferença como se viu no Alentejo e na Margem Sul.



Como Deputado por Évora saúdo e reconheço que pela primeira vez em muitos anos a CDU ganhou as eleições no Distrito. Mérito próprio certamente mas também alguns erros do PS nas Câmaras perdidas. Câmaras que podem ser recuperadas com um trabalho político continuado e afirmativo.



Por outro lado a grande vitória socialista em Vendas Novas conseguida por um jovem com grandes qualidades pessoais e políticas e por uma equipa que trabalhou durante quatro anos para tornar possível a mudança, (além da confirmação do grande trabalho em Portel, Reguengos, Viana e Mourão) e a afirmação do PS como alternativa nas outras autarquias ganhas pela CDU ou por independentes, permite acreditar que essas autarquias também estarão ao alcance nas próximas eleições. Assim o exemplo do trabalho feito em Vendas Novas os inspire a todos. Por Montemor, onde o PS com 3 vereadores passou a ser a única oposição ao executivo da CDU que elegeu 4, tudo farei para que isso aconteça.



O futuro depende do trabalho junto das pessoas. Todos os eleitos têm agora o desafio de exercer o seu mandato com o espírito de que tão importante é a governação como a oposição. O Alentejo precisa de todos.

Comentários
Ver artigos anteriores...