O Tempo do Património

2018 é o ano europeu do património cultural, e constitui uma grande oportunidade para que Portugal e o Alentejo em particular, vão ainda mais longe na valorização da sua riqueza material e imaterial. 

Em tempos de mudança acelerada e fortes desafios, a cultura e a arte são pontes que nos permitem interpretar os sinais e adaptar os modos de vida às novas realidades. Onde há verdadeira cultura, há sempre menos pobreza e menos abandono.

boa compreensão do passado e dos factores de identidade podem ajudar também  a não repetir erros que marcaram a humanidade e em particular o território europeu nos últimos séculos.  Valorizar e promover o património cultural é também uma maneira da Europa assinalar e lembrar os 100 passados sobre a  brutal primeira guerra mundial,largamente travada no seu território, ou os quatrocentos anos do inicio da sangrenta guerra dos trinta anos.

Na decisão do Parlamento Europeu e do Conselho relativa aos objetivos do Ano Europeu do Património Cultural é referido que ele visa contribuir para promover o património cultural da Europa enquanto elemento central da diversidade e do diálogo intercultural, reforçar o contributo para a economia e a sociedade através do potencial económico direto e indireto e apoiar o aprofundamento das relações dos povos europeus com os outros povos, aumentando a capacidade de afirmação da Europa no contexto na globalização.

Destes objectivos gerais, que sintetizei de acordo com aquilo que me pareceu ser a mensagem essencial, decorrem depois múltiplos objetivos específicos que abrirão espaço a ações concretas por todo o território europeu.  

Há quem  veja a diversidade cultural europeia tratada como um obstáculo para o seu progresso conjunto, para a velocidade da tomada de decisões e para a coordenação de políticas

Acredito que em muitos casos o seja, mas nunca nos devemos esquecer que essa diversidade, alicerçada em séculos de intensa atividade de estudo e experiência, é também a nossa maior riqueza, num tempo de incertezas, em que as boas soluções implicam inovação criativa e combinação de visões e perspectivas.

Quem melhor do nós, pode vencer este desafio. O Património Cultural é uma das chaves da refundação da Europa e do desenvolvimento sustentável dePortugal e do nosso Alentejo.  

Comentários
Ver artigos anteriores...