A Estratégia de Manuela


Pode-se reflectir, debater e avaliar eticamente, mas do ponto de vista político a estratégia de Manuela Ferreira Leite na feitura das listas do PSD foi absolutamente cristalina. Manuela trocou pluralidade por governabilidade e abrangência por controlo e desforra potencial.

Governabilidade do PSD significa liderança do Partido, quer em contexto de poder quer em contexto de oposição.
Ao afunilar as listas, escolher os indefectíveis e ignorar os padrões de transparência candidatando personalidades a contas com a justiça, Manuela reduziu as possibilidades já remotas de vencer mas garantiu duas coisas. Se tiver que governar tem um núcleo duro à prova de bala, se ficar na oposição seca as hipóteses duma alternância coerente e fará com que os seus sucessores no PSD lidem com um grupo parlamentar hostil tal como ela teve que lidar durante o seu consulado.
Retirar espaço de manobra a Pedro Passos Coelho pesou tanto na balança estratégica como criar condições para eleger mais deputados.
Acredito que esta análise pareça básica e pouco rebuscada. Não incluo qualquer componente qualitativa específica porque sou parte indirectamente interessada. Limito-me por isso à descrição factual. Ela fala por si.
Comentários
Ver artigos anteriores...