Descarbonizar - Uma visão com futuro

Num tempo em que cada vez mais catástrofes e eventos meteorológicos improváveis vão ocorrendo devido às alterações climáticas, o contributo para a mitigação desses impactos e para a desaceleração do aquecimento global é suficiente para dar sentido a uma estratégia que permita reduzir as emissões de C02 para a atmosfera. 

A comunicação da Comissão Europeia (CE) intitulada “um planeta limpo para todos apresentada e debatida no Parlamento Europeu (PE) no dia 28 de novembro, seguiu-se à apresentação no dia anterior pela Agência Internacional da Energia (AIE) de previsões muito pessimistas sobre o grau de cumprimento global do Acordo de Paris.

A AIE considera no seu relatório que mesmo os melhores esforços da UE podem não ser suficientes para conter o aumento de emissões a ocorrer sobretudo na Ásia. Esta comunicação não desobriga a UE do seu meritório esforço. Antes realça a importância da implementação rápida do pacote de energia limpa recentemente aprovado, bem como da finalização com objetivos ambiciosos das negociações institucionais em curso no que diz respeito aos transportes e à mobilidade limpa.

A comunicação da CE antes referida propõe-se ser um pilar de uma visão estratégica de longo prazo que permita à União Europeia fazer uma transição sustentável e justa para uma economia próspera, moderna, competitiva e descarbonizada. 

Sendo assim o objetivo de ter uma economia neutra em relação ao clima até 2050 é ao mesmo tempo uma oportunidade para enquadrar um conjunto integrado de políticas que respondam a outros desafios como a digitalização inclusiva da sociedade, o reordenamento dos modelos de organização social e transporte melhorando a qualidade de vida e reduzindo as desigualdades, o desenvolvimento de processos de criação de valor mais focados nos interesses das pessoas e no bem estar social, o reforço das redes de segurança e cooperação entre pessoas, instituições e territórios e o aprofundamento dos processos de cidadania e participação democrática.

Segundo o Euro barómetro especial de novembro deste ano, 93% dos europeus acreditam que as alterações climáticas são provocadas pela forma como vivemos em sociedade ou seja pela atividade humana e 85% concordam que a luta contra as alterações climáticas e a utilização mais eficiente da energia podem gerar crescimento económico e emprego na Europa. 

A descarbonização não é por isso apenas uma opção de sobrevivência. É uma oportunidade para novos investimentos, novas ideias, novas soluções e novos modelos, corrigindo distorções do passado e melhorando a qualidade de vida na nossa terra e no nosso planeta.
Comentários
Ver artigos anteriores...