Europa - Unidade e Diversidade

O mundo está cada vez mais perigoso. O enfraquecimento político da América, sem que isso corresponda a qualquer redução do seu fabuloso arsenal bélico, aumenta fortemente os riscos e exige da União Europeia (UE) uma capacidade acrescida de capacidade de defesa e de intervenção moderadora num quadro multilateral.

Para ser um ator global forte, na segurança, no comércio ou no clima por exemplo, a União Europeia (UE) tem que assumir um discurso comum de unidade e convergência de posições. Essa unidade necessária para a ação global não é no entanto contraditória com a afirmação das identidades e das prioridades nacionais, regionais, locais e individuais. Contrapor unidade e diversidade é uma falácia propalada por quem quer ver a UE fragmentada e fraca nos cenários geo políticos e geo estratégicos globais.

O que torna a Europa forte é a sua matriz múltipla, feita de percursos e histórias diversas e de povos e comunidades com tradições, experiências e orgulho próprio. Essa diversidade tem sido aliás incentivadanos programas locais, regionais, nacionais e também nos programas apoiados localmente, nacionalmente por recursos europeus. O ano de 2018 é o ano Europeu do Património Cultural e o seu programa releva a riqueza múltipla dos territórios europeus

Os defensores do ideal europeu que são lúcidos apostam na diversidade e na força das nações que integram o projeto europeu, porque não o fazer significaria a prazo a morte desse projeto. O que nos une são os valores partilhados e a capacidade de em conjunto salvaguardarmos melhor a paz e a prosperidade e conseguir melhores condições de vida para as pessoas que povoam as nações da península europeia integradas na UE.

Qualquer união entre Estados que não seja natural, mutuamente benéfica e aceite pela maioria dos cidadãos será uma união fraca e frouxa. Alguns dos que querem fragmentar a Europa usam a subtileza de exacerbar a normalização tecnocrática para gerar a revolta dos cidadãos.

Temos que combater os que querem uma Europa sem rosto e sem identidades, com o mesmo vigor democrático que combatemos os que simplesmente querem fazer implodir o mais extraordinário projeto político global das últimas décadas, porque uma União ao mesmo tempo una e diversa é uma Europa que vale a pena e que faz falta no mundo e na vida de cada um de nós. 

Comentários
Ver artigos anteriores...