Visto de Casa (16/05)

O Governo anunciou as regras da segunda fase de desconfinamento. Ultrapassámos com esforço e determinação duas etapas difíceis. Alguns perderam a vida e outros viram-na andar para trás e anseiam por inverter o caminho. Enquanto povo temos que continuar em frente, corrigir erros e insuficiências e manter rigor coletivo que nos tem permitido suster a catástrofe e iluminar a esperança.

É normal que tendo o vírus contaminado os corpos de alguns e o pensamento de todos, as múltiplas regras de desconfinamento gerem debate, dúvidas e controvérsias. A troca de pontos de vista é saudável, mas as soluções não podem destruir os pilares do que já foi conseguido. Em equipa que não perde, e porque ao vírus ainda ninguém ganhou em todo o mundo, não se deve mexer muito.

Ao contrário do que temos visto em muitas partes do globo, em Portugal conseguimos conjugar determinação e articulação política com o respeito primordial pela fundamentação técnica das respostas.A prioridade é salvar vidas, primeiro que tudo na perspetiva biológica da sobrevivência, mas sem descurar a perspetiva económica, social e psicológica. Não sei se é a quadratura do círculo ou a circulatura do quadrado, mas é o que temos que continuar a conseguir fazer acontecer.

As lições que tirei dos desconfinamentos que se iniciaram em 4 de maio, foi que a aplicação das regras e normas se revelou mais fácil na prática, do que aquilo que pareciam quando apresentadas em manual. Temos uma grande capacidade de adaptação, desta vez com o desenrascanço contido, porque ele dá jeito em muitas coisas, mas não para enfrentar uma ameaça letal.

Espero que o mesmo aconteça com os desconfinamentos que se seguem. Desejo ardentemente que todos corram bem, em nome da saúde e da permanência do sonho que comanda a vida. O sonho da realização individual e coletiva que nos dá sentido enquanto povo.  

Ontem o Parlamento Europeu aprovou com 73% de votos a favor, 17% contra e 10% de abstenções a resolução sobre o Plano Plurianual de Financiamento, os recursos próprios e o plano de recuperação e transformação da União. Fizemos e aprovámos ummanual de boas práticas para uma resposta solidária e coordenada da União Europeia à crise. 

Os Governos dos 27 países da parceria, que tem feitoos cidadãos cumprir medidas difíceis para controlar a pandemia sanitária, foram desafiados agora pelos representantes desses cidadãos a tomarem medidas corajosas para recuperar da pandemia económica e social. Espero que não façam ouvidos de mercador.   Até amanhã, que é Domingo, com muita saúde para todos.   

Comentários
Ver artigos anteriores...