Também estou...


No Twitter:


No Facebook:


Carlos Zorrinho's Facebook profile

No arquivo deste blogue:

Arrancar de novo

Quero contar-vos nesta crónica um pequeno episódio de vida mas que para mim teve um enorme significado e ilustra bem a força das boas ideias e das boas iniciativas.

Tudo começou a acontecer num dia em fui depositar algumas embalagens vazias nos contentores da reciclagem, num ritual que sendo bom para o ambiente também me ajuda a desligar da luta quotidiana e a “regressar” à pacatez do bairro, quando de repente o Manuel Lamarosa, eborense conhecido e que muito admiro pela seu empenho e entrega cívica em particular na Associação de Dadores Benévolos de Sangue, parou o carro e me disse – Professor, tenho uma coisa que gostava de lhe contar – e contou!

A história é simples mas muito simbólica. No âmbito do das Novas Oportunidades, no Centro da Escola Gabriel Pereira, o Manuel desenvolveu um “arrancador” muito especial. A ideia foi desenvolver um interruptor capaz de validar se as falhas de iluminação nas lâmpadas fluorescentes se deve ao arrancador ou à lâmpada. Se o Problema for do arrancador é só substitui-lo e fica a Lâmpada pronta a arrancar de novo! A ideia é tão prática quando simples e útil. Mas é também simbolicamente uma ideia fantástica!

Fiquei entusiasmado com a ideia e mais sensibilizado fiquei quando alguns dias depois recebi uma caixa com o “arrancador” e respectivo manual de instruções. Não resisto em fazer seguidamente uma larga transcrição desse manual intitulado “É preciso arrancar de novo”.

Diz o Manual: “o Arrancador … é apenas um interruptor sem complexidade, se ajudado a executar o arranque só com um clic... assim podemos estabelecer um paralelismo entre a função do arrancador nos aparelhos de iluminação fluorescentes e as novas oportunidades – sem complexidade, basta um clic e percorrer os fios de ligação, com as equipas de formação. Verificará que tem muitas competências que serão validadas. Não espere mais – faça clic e descubra como arrancar numa nova direcção iluminando o seu futuro!”.

E para terminar o manual, após várias explicações mais ou menos técnicas, o Manuel escolheu esta frase lapidar “Nos CNO, não existe nada de automático, é você que estabelece a ligação. As competências adquiridas serão reconhecidas, mas é você que tem que accionar o botão”.

Sou muitas vezes questionado sobre qual é em minha opinião a medida mais emblemática do Plano Tecnológico. A escolha não é fácil. Medidas e programas como o e-escola, o Magalhães, o Simplex, os Pólos de Competitividade, o Plano Tecnológico da Educação ou as parcerias internacionais são de uma importância decisiva para o nosso futuro colectivo. Mas o regresso á escola de mais de 700 000 portugueses para “arrancarem de novo” é talvez o mais estimulante e reconfortante sinal de que temos gente preparada para enfrentar os tempos difíceis que esperam todo o mundo e a que não escaparemos.

No entanto, quando a lâmpada piscar, nada como usar o “arrancador” do conhecimento e da formação. Na maioria dos casos, mais cedo ou mais tarde, a luz voltará a brilhar ainda com mais vigor e pujança.
Comentários
Ver artigos anteriores...