Visto de Casa 02/04

O combate à pandemia não é um campeonato, mas é geralmente reconhecido que a China, com algumas interrogações e teorias de conspiração pelo meio, a Coreia do Sul, Singapura e o Japão foram dos países mais bem-sucedidos até agora nessa tarefa.

Porque será? São todas culturas asiáticas e daí mais compassivas? São sociedades mais autoritárias, pelo menos no que diz respeito a China e Singapura, e logo mais capazes de impor regras? Estão mais habituados a usar máscaras desde a pandemia anterior e por isso tinham mais capacidade de produção e adotaram-nas precocemente?  São muito países muito desenvolvidos tecnologicamente e usaram as ferramentas digitais como aliadas do combate?

Certamente os especialistas estão a olhar para estes e para todos os outros casos, de maior ou menor grau de capacidade de contenção, para extraírem ensinamentos e aprenderem com as experiências vividas num cenário que a todos surpreendeu. Enquanto observador atentoacredito que a resposta é uma combinação dos quatro fatores, mas em que o uso das ferramentas digitais teveum papel determinante.

O uso das ferramentas digitais neste combate merece reflexão. Os quatro países são grandes potências digitais. China e Singapura têm práticas avançadas de reconhecimento facial e mapeamento dos movimentos dos seus cidadãos. O Japão preparava-se para fazer dos Jogos Olímpicos de Tóquio um evento global de apresentação da mais avançada rede de nova geração (5G) no planeta. A Coreia do Sul tem um dos maiores investimentos globais nas novas redes.

A pergunta difícil, que se coloca neste caso com grande acuidade, mas se pode colocar em muitos outros aspetos da vida, é em que grau estamos dispostos a trocar direitos de privacidade individual por maior segurança e proteção?

Embora uma das muitas teorias conspirativas que pululam pelas redes proclame que o vírus é a arma de um governo mundial que a partir do combate à pandemia passará a controlar os movimentos dos cidadãos, não acredito que o vírus tenha outra causa que não a mutação já explicada pelos maiores e mais prestigiados cientistasContudo, algumas das práticas usadas para o combater vieram para ficar.

Na União Europeia temos regras bem mais restritas de acesso aos dados individuais. Não é por isso que vamos deixar de vencer a pandemia, mas temos que trilhar alguns caminhos diferentes. 

Voltarei a este tema nos próximos “visto de casa”Está visto que este diário veio para ficar um pouco mais tempo do que eu imaginava quando o decidi iniciar.Oxalá termine rápido.  Até amanhã, com muita saúde para todos.
     

Comentários
Ver artigos anteriores...