O Espírito de Maio




 

No dia primeiro do cada mês de Maio celebra-se o Dia dos Trabalhadores, escolhido simbolicamente por ter sido nessa data que em 1886 se realizou em Chicago, nos Estados Unidos, uma grande manifestação a favor da redução da jornada de trabalho diária para as 8 horas.

 

Entretanto o mundo mudou. Em muitas partes do globo continua a haver um longo caminho a percorrer pela dignidade do trabalho, que vai muito para além da sua duração ou até mesmo da natureza contratual com que é efetuado. Mas o dia dos trabalhadores deve ter hoje um novo e mais amplo significado. Deve ser o dia daqueles que trabalham por conta de outrem e também dos que trabalham por conta própria, dos que são empregados e dos que empregam e ainda daqueles aqueles que são um pouco disso tudo, na procura permanente de uma vida digna, integrada e com sentido.

 

Nesta linha de abordagem, o 1 de Maio é também o dia dos que se preparam afincadamente para terem uma proposta de valor a fazer à sociedade nos múltiplos formatos em que hoje essas propostas podem ser feitas. Dos estudantes, dos empreendedores, dos criadores em ciclo de mudança, dos inventores de novos saberes e de novos modelos.

 

Em síntese, o 1 de Maio como o concebo é o dia de todos nós, enquanto agentes de transformação da sociedade, e deve cada vez mais ser vivido como uma oportunidade para refletirmos sobre o sentido da vida e o papel que o trabalho, nas suas múltiplas formas, deve ter nela.

 

Num tempo de transição e diversidade é normal que sejam ainda os Sindicatos a protagonizar os maiores eventos associados à data. Mas importa ir para além dessa visão restrita. A contaminação da sociedade por um novo e abrangente espírito de Maio, não desmerece e antes valoriza tudo o que a propósito dele, se diga e faça.

 

O espírito de Maio associa-se ao esplendor do que renasce e ao pensamento que se pensa em função duma realidade em mudança. É um espírito de força e de vigor e ao mesmo tempo de adaptação a um novo ciclo. É assim todos os anos na natureza e tem que ser assim num mundo em que as tecnologias e as redes vão mudando o lugar das pessoas no processo de criação de valor.

 

O 1 de Maio é o dia de todos nós. É o dia das pessoas. É o dia para fazer acontecer dias melhores todos os dias. Para dar dignidade ao trabalho no plano legal e contratual, mas também para garantir que tudo quanto se faz, tem um valor de progresso para a humanidade e de respeito para com o planeta. O trabalho é um meio. O sentido da vida é um fim. É este espírito de Maio que vos convido a celebrar. Dia 1 de Maio e sempre! 

 

  

 

  

 

       
Comentários
Ver artigos anteriores...